• Google+
  • instagram
  • linkedin
  • youtube
  • facebook
  • FourSquare
  • twitter
  • snapchat
  • WhatsApp

Fale conosco

0800-647-4003

segunda à sexta-feira
das 8:00 às 21:00h

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA

CAPÍTULO I – DO OBJETO
Art. 1°. O Programa de Iniciação Científica é uma proposta de inserção do aluno de graduação em atividades de Pesquisa Científica, visando à construção de interações com o ambiente científico, por meio do desenvolvimento de projeto de iniciação à pesquisa.
Parágrafo único. O Programa de Iniciação Científica está vinculado à Diretoria Acadêmica.
 
Art. 2º A Diretora Acadêmica será assessorada na administração e coordenação do Programa de Iniciação Científica por uma Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa, por ela designada.
 
Art. 3º A Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa, composta por 03 (três) representantes, será assim constituída:
I- um Professor com titulação de Mestre ou Doutor, indicado pela Diretoria Acadêmica;
II- dois Professores da Faculdade Cathedral com titulação mínima de Mestre, indicado pela Diretoria Acadêmica.
Parágrafo Único: A Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa terá regulamento próprio para seu funcionamento.
 
Art. 4°. O Programa de Iniciação Científica tem como princípios:
I- a constituição de uma cultura acadêmica de trabalho em que se combine a transmissão de conhecimentos com a construção de novos saberes;
II- a aplicação de conhecimentos adquiridos e exercício de interação do trabalho acadêmico com as demandas da sociedade;
III- a inserção das Faculdades nas iniciativas para a redução das disparidades regionais, especialmente quanto à distribuição da competência científica nas perspectivas local, regional ou nacional;
IV- o estímulo a pesquisadores produtivos para envolver estudantes de graduação no processo acadêmico, possibilitando, além de outros benefícios, a ampliação da capacidade institucional de orientação à pesquisa na Faculdade;
V- a promoção da elevação quantitativa da produção científica com qualidade;
VI- o envolvimento progressivo de novos pesquisadores na atividade de formação.
 
Art. 5º. São objetivos do Programa de Iniciação Científica:
I- motivar a inserção de discentes e docentes nas atividades científicas;
II- possibilitar o aprofundamento de conhecimentos na área em que desenvolve a Iniciação Científica;
III- possibilitar ao aluno o desenvolvimento de competências, habilidades e atitudes na organização e desenvolvimento de atividades de pesquisa científica;
IV – propiciar ao aluno maior envolvimento com a pesquisa, despertando-lhe o interesse pela carreira científica;
V- estimular professores/pesquisadores a incorporarem estudantes de graduação nos seus trabalhos de pesquisa;
VI- contribuir para a formação de recursos humanos para a pesquisa;
VII- preparar alunos para a pós-graduação lato e stricto sensu;
VIII- proporcionar a aprendizagem de métodos e técnicas de pesquisa científica ao aluno orientado;
IX- estimular o desenvolvimento do pensar de modo científico e criativo nos alunos, em decorrência de condições criadas confrontadas diretamente com os problemas de pesquisa.
 
Art. 6º. As atividades acadêmicas de desenvolvimento de Iniciação Científica caracterizam-se da seguinte forma:
I- resenhas a serem publicadas;
II- artigos para periódicos, pesquisa bibliográfica e de campo;
III - participação de grupos de pesquisa;
IV- participação em eventos científicos internos ou externos;
VI- elaboração de relatórios parciais ou conclusivos sobre temas de pesquisas.
 
Art. 7º. Os Projetos de Iniciação Científica podem ser com:
I- bolsa auxílio institucional conforme Regulamentação específica;
II- bolsa- auxílio externa;
III- participação voluntária do aluno.
Parágrafo único. Toda proposta de Projeto de Iniciação Científica deve constituir um projeto de pesquisa, vinculado à área do docente orientador, respeitando-se as exigências estabelecidas pelo Edital do Programa de Iniciação Científica.
 
CAPÍTULO II – DO PROJETO DE PESQUISA

Art. 8°. Entende-se por Projeto de Pesquisa uma proposta de investigação com data inicial e final definida, fundamentada em objetos específicos, visando à obtenção de resultados de causa e efeitos ou a colocação de fatos novos em evidência.
 
Art. 9º. Serão adotadas as três grandes áreas do conhecimento, enquadrando os cursos de graduação mantidos na Faculdade, como a seguir listados:
Ciências Sociais Aplicadas (Administração, Ciências Contábeis, Direito)
Ciências da Educação (Pedagogia)
Tecnologia (Agronegócio e Marketing)
 
Art. 10. Serão adotadas como Linhas de Pesquisa:
I- Educação: educação ambiental / inclusiva  / gestão educacional e formação de professores;
II- Direito: direitos humanos e cidadania / direito, região e sustentabilidade / direito e literatura;
III- Gestão: gestão financeira / contábil / administrativa e de serviço;
IV- Cultura: memória / história / diversidade étnico-racial.  
Parágrafo único. Para serem aceitos Projetos de Iniciação Científica, deverão estar de acordo com as linhas de pesquisa definidas no Plano de Desenvolvimento Institucional (PDI) e demais delimitações definidas pelos Colegiados de Curso.
 
Art. 11. O Projeto de Pesquisa aprovado deverá ser cumprido integralmente no período de 12 (doze) meses a partir da data de sua aprovação.
 
Art. 12. Os projetos serão analisados e selecionados pela Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa. Após, serão encaminhados a Diretoria Acadêmica para apreciação e decisão.
 
Art. 13. O processo de seleção dos Projetos ocorrerá por meio de Edital da Diretoria Acadêmica, que estabelecerá número de vagas e os critérios necessários para a inscrição e seleção, de acordo com relevância do tema ou as necessidades dos cursos.
 
CAPÍTULO III – DOS REQUISITOS PARA PARTICIPAÇÃO DO PROFESSOR ORIENTADOR NO PROGRAMA
Art. 14. O orientador de Iniciação Científica deve ser professor na Instituição, com titulação mínima de Especialista com Curriculum Vitae cadastrado na Plataforma Lattes do CNPq.
 
Art. 15. Para participar do programa de Iniciação a Pesquisa Científica da Faculdade Cathedral, o professor deverá:
I- ser professor da Faculdade Cathedral;
II- possuir experiências na orientação de Trabalho de Conclusão de Curso e/ou na área de pesquisa;
III- possuir o título de doutor, mestre ou especialista, com produção científica;
IV- inscrever-se no programa, no período previsto em edital da Diretoria Acadêmica;
V- apresentar projeto de acordo com as linhas de pesquisas do curso a que se vincula;
VI- ter sua proposta aprovada pela Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa;
VII– cumprir cronograma estabelecido no projeto de pesquisa e as normas do programa de Iniciação à Pesquisa.
 
Art. 16. São consideradas obrigações do Professor Orientador:
I- orientar a elaboração do projeto de pesquisa do aluno;
II- acompanhar o desenvolvimento do aluno a fim de garantir que os objetivos do projeto sejam realizados;
III- orientar a elaboração de relatórios parcial e final;
IV- solicitar desligamento do aluno, caso este não cumpra os compromissos estabelecidos nesse regulamento;
V- auxiliar os alunos na produção de artigos científicos, resultantes das pesquisas;
VI- incentivar a publicação de artigos e outros de trabalhos científicos, bem como estimular a participação do aluno pesquisador em eventos científicos;
VII- cumprir regulamento do Programa de Iniciação à Pesquisa e o cronograma estabelecido no projeto aprovado;
VIII- produzir artigos e/ou documentos científicos apresentando os resultados das pesquisas realizadas;
IX- participar das reuniões de avaliação estabelecidas pelo Programa;
X- participar, anualmente, Seminário de Iniciação Científica.
 
Art. 17. O Projeto de Pesquisa deverá ser proposto pelo Professor Orientador e Aluno-pesquisador em conjunto. O número de orientações de projetos de pesquisa seguirá aos critérios abaixo determinados, de acordo com a titulação do docente:
 Doutor: até 3 (três) projetos com 3 (três) alunos pesquisadores, cada.
 Mestre: até 2 (dois) projetos ou 3 (três) alunos pesquisadores, cada.
 Especialista: 1 (um) projeto ou 3 (três) alunos pesquisadores, cada.
 
Art. 18. O Professor Pesquisador deve incluir o nome do aluno nas publicações e trabalhos resultantes do desenvolvimento do Projeto de Iniciação Científica e apresentados em congressos ou seminários.
 
CAPÍTULO V – DOS REQUISITOS PARA A PARTICIPAÇÃO DO ALUNO NO PROGRAMA
Art. 19. Para participar do Programa de Iniciação Científica da Faculdade Cathedral, o aluno deverá:
I- ser regularmente matriculado no curso de graduação e apresentar um bom desempenho acadêmico;
II- ter concluído integralmente o primeiro semestre curricular do seu curso até o período letivo anterior ao da inscrição e não estar cursando os dois últimos semestres de seu curso;
III- apresentar projeto de pesquisa em formulário próprio, de acordo com os objetivos do Programa de Iniciação Científica da Faculdade Cathedral, vinculado às linhas de pesquisa do seu curso, com a aprovação de um Professor Orientador;
IV- ter disponibilidade de 04 (quatro) horas semanais dedicadas ao projeto.
Parágrafo Único: Os alunos dos cursos Tecnológicos deverão ter concluído integralmente o primeiro semestre e não estar cursando o último semestre. 
 
CAPÍTULO VI – DAS OBRIGAÇÕES DO ALUNO
Art. 20. São consideradas obrigações do aluno:
I- cumprir o cronograma estabelecido no Projeto de Pesquisa e as normas do Núcleo de Iniciação à Pesquisa;
II- cumprir carga-horária de 04 (quatro) horas semanais, em horário definido no Termo de Compromisso com o Núcleo de Iniciação à Pesquisa, não conflitante com suas obrigações discentes, em função das disciplinas em que estiver matriculado;
III- desenvolver trabalhos de iniciação à pesquisa científica e de aprofundamento do conhecimento, de acordo com a linha de pesquisa do professor orientador, estabelecidos no projeto de pesquisa;
IV- apresentar, ao Núcleo de Iniciação à Pesquisa, após aprovação do Professor Orientador, relatórios parciais ou finais nos quais devem constar a descrição das etapas ou os resultados da pesquisa;
V- ter frequência mínima de 75% nas atividades previstas no calendário do Programa de Iniciação Científica da Faculdade Cathedral;
VI- participar de cursos e eventos que sejam pertinentes à atividade de Iniciação Científica promovidos pela Faculdade Cathedral;
VII- apresentar um artigo que será submetido a uma avaliação final pela Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação Científica;
VIII- desempenhar suas funções durante o prazo de validade do edital.
 
Art. 21. Os alunos de Iniciação Científica exercerão suas atividades sem qualquer vinculo empregatício Institucional.
 
Art. 22. O aluno poderá vincular-se a um único Projeto de Pesquisa.
 
CAPÍTULO VII- DO PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA
Art. 23. Para que seja aprovado, o Projeto deverá:
I- ter mérito técnico-científico;
II- ter relevância social (estar relacionados a problemas nacionais e de preferência aos regionais);
III- estar de acordo com as linhas de pesquisa definidas no PDI;
IV- ser interesse da Instituição;
V-  apresentar viabilidade técnica e financeira, mediante negociação e acerto de custos com a participação do professor orientador;
VI- conter plano detalhado das atividades a serem executadas, bem como o cronograma do desenvolvimento da pesquisa.
Parágrafo Único: O aluno-pesquisador somente poderá participar de um projeto de pesquisa.
 
Art. 24. Serão computadas, mediante a apresentação de relatório final (aprovado), como atividades complementares, o total de horas dedicadas ao Projeto de Iniciação Científica, conforme o regulamento das atividades complementares.
 
CAPÍTULO VIII – DA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO
Art. 25. A candidatura ao Projeto de Iniciação Científica se fará por meio da solicitação do aluno-pesquisador e do professor-orientador.
 
Art. 26. Os projetos serão analisados e selecionados pela Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa.
 
Art. 27. Os projetos selecionados pela Comissão, avaliados quanto ao mérito científico, viabilidade técnica e por estarem dentro do interesse da Faculdade Cathedral, serão encaminhados à Diretoria Acadêmica para apreciação e decisão.
 
Art. 28. Os projetos aprovados terão suas atividades de pesquisa científica iniciadas em cada ano, após a assinatura dos respectivos termos de compromisso em data fixada em Edital Próprio.
 
CAPÍTULO IX – DAS BOLSAS
Art. 29. A Faculdade Cathedral concederá, semestralmente, bolsas para alunos-pesquisadores, contemplando as áreas de conhecimento adotadas pela Faculdade conforme Resolução CMBG nº 14, de 06 de dezembro de 2005.
Parágrafo Único: Não é permitida a acumulação da bolsa de pesquisa com qualquer outra concedida pela Faculdade.
 
Art. 30. A duração da bolsa será fixada no Edital.
 
Art. 31. O não cumprimento, por parte do aluno-pesquisador, das obrigações dos compromissos inerentes ao Programa de Iniciação Científica e ao Projeto de Pesquisa ao qual está vinculado, implicará no cancelamento imediato da bolsa.
 
Art. 32. A bolsa poderá ser cancelada, a qualquer tempo, mediante solicitação do aluno-pesquisador, do professor-orientador ou assinatura de termo de desligamento firmado pelo solicitante ou proponente, sujeitando-se o aluno às sanções previstas por este Regulamento e por outros documentos oficiais da Faculdade.
 
CAPÍTULO X – DA AVALIAÇÃO
Art. 33. Para avaliação geral do aluno-pesquisador serão considerados:
I- a entrega, no prazo previsto, das atividades de pesquisa científica;
II- a participação nas reuniões e atividades previstas no Cronograma do Programa;
III- o desempenho no Seminário de Iniciação Científica da Faculdade Cathedral;
IV- o relatório descritivo final da pesquisa, resumo e abstract.
 
Art. 34. Para avaliação geral do professor-orientador serão considerados:
I- a entrega, no prazo previsto, dos relatórios de pesquisa científica;
II- a participação nas reuniões e atividades previstas no Cronograma do Programa;
III- o desempenho na orientação diante da execução do projeto de pesquisa.
 
CAPÍTULO XI - DISPOSIÇÕES FINAIS
Art. 35. O não cumprimento dos compromissos do aluno e/ou do orientador, estabelecidos nesse regulamento, implicará a exclusão do programa, em qualquer fase, do projeto da Faculdade Cathedral, pela Diretoria Acadêmica, com base em parecer da Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa.
Parágrafo único – Caso, somente o aluno não cumpra os compromissos estabelecidos nesse regulamento, o orientador poderá solicitar Diretoria de Pós-Graduação o seu desligamento, em qualquer fase do projeto.
 
Art. 36. Caso seja contatada fraude, plágio ou condição análoga na elaboração e desenvolvimento do projeto, os responsáveis serão desvinculados do Programa de Iniciação Científica da Faculdade Cathedral, cabendo a Comissão Técnica do Núcleo de Iniciação à Pesquisa o devido encaminhamento a Diretoria Acadêmica para aplicação das sansões cabíveis, segundo o Regimento Geral da Faculdade Cathedral.
 
Art. 37. Cabe a Diretoria Acadêmica, executado o Projeto, expedir declaração ao professor que orientou e o respectivo certificado do aluno.
 
Art. 38. Os casos omissos serão resolvidos pela Comissão Técnica do Programa da Iniciação Científica.
 
Art. 39. Esse regulamento entra em vigor na data de sua publicação, revogando-se as disposições em contrário.
 

Aprovado pela Resolução CONSEPE/FACISA Nº. 9, de 13 de dezembro de 2013.

Barra do Garças, 13 de Dezembro de 2013.
Av. Antônio Francisco Cortes, 2.501
Setor Cidade Universitária • Barra do Garças-MT
Fone: (66) 3402-3200

Desenvolvimento

Araguaia Networks